Suspenso

Silêncio.
Tudo suspenso.
Parece que o dia parou.
Ou foi o mundo que parou?
Ou foi o tempo...
Tudo parado, suspenso...
Parado, silêncio, suspenso lá fora,
porque aqui dentro tudo é movimento,
movimento contínuo, barulho, tormento.
Embora tudo lá fora continue suspenso,
no meu mundo interno sempre há coisa acontecendo.
Amores, dores, cores e formas nascendo, todo o tempo.

Procurando o Coelho Branco

Quem era aquela pessoa com olheiras que olhava para ela do outro lado do espelho?
O rosto até era familiar, mas tinha algo a mais naquele olhar e não eram as olheiras que teimavam em aparecer...
Tinha algo a mais. Angústia? Dor? Tristeza? Ansiedade? Ou será uma alegria diferente, uma alegria que doia, que queimava, que sangrava?
Aliás, de onde vieram tantos sentimentos, de onde viera tamanha sensibilidade? E aquele romantismo idiota e absurdo que se alojara dentro dela, trazendo junto consigo outros visitantes - sonhos, devaneios, desejos... - sem pedir permissão???
Como alguém pode vir à sua casa sem ser convidado e ainda trazer outras companhias para se alimentar da sua energia, da sua vitalidade?
Não, ela não entendia. Como alguém tão focada em resultados podia gastar tanto tempo sonhando com o princípe encantado, com alguém que tocaria não apenas o seu corpo mas também a sua alma, alguém que a ensinaria a amar, a querer, a esperar - mesmo que esperar em vão - o ser amado?
Como ela poderia querer encontrar alguém que tocasse a sua alma e a levasse a dimensões desconhecidas, a universos mágicos, a um mundo etereo, com castelos de cristais construidos no ar? O mesmo universo mágico das fadas, das bruxas, dos anjos, dos magos, dos elementais... o universo onde tudo é possível, onde se ouve sons que ninguém mais escuta, onde tudo tem mais vida... onde tudo é realmente mágico...
Quanta besteira!!! Como podia ser tão infantil? Mas, no fundo, ela queria habitar este reino só por um momento, só por um segundo. Queria sentir todo o torpor de uma paixão, toda a sua força, seu poder...
Não. Ela não estava pedindo por castelos em terras distantes e finais felizes para todo o sempre. Não. Ela só pedia por um pouco de magia, de encantamento. Só pedia para sair um pouco das terras desertas e sem graça da lógica, da impecabilidade da razão, das teorias perfeitas que explicam o Universo e os seres humanos... e caminhar livremente, alegremente pelo reino mágico e ilógico do sentimentos e das sensações...
Ela se sentia como Alice, procurando pelo Coelho Branco. Esperava também achar o caminho para a toca do Coelho e entrar em um mundo mágico, nem que fosse para pouco depois despertar e descobrir que todo aquele reino mágico fora apenas um breve sonho...

Relax

Hoje ia escrever um conto para a Caixa, mas aproveitei para relaxar e ficar vendo alguns videos. Revi este, que tem tudo a ver com a visão que eu tenho da paixão...e a eterna luta razão x emoção:


video

Em breve coloco outros textos por aqui...

Blogger Templates by Blog Forum